Do Pará para o fHist

Professora do interior do Estado vence a promoção e ganha inscrição e hospedagem grátis

  • Acima, a vencedora da promoção para ir ao fHist com tudo pago, Débora Araújo, abraça a mãe, sua acompanhante na viagemPara uma professora de História, do interior do Pará que possui 300 h/a mensais, esse seria um momento ímpar para ampliar meus conhecimentos históricos e melhorar meu desempenho enquanto profissional da educação”.Com essa justificativa, Débora Araújo Fernandes, professora de história da pequena cidade de Santa Luzia do Pará, ganhou a promoção da Revista de História que levará um assinante e um acompanhante com tudo pago à Diamantina, para participar do Festival de História (fHist), entre 7 e 12 de outubro. A escolha da mensagem foi difícil - foram mais de duzentas participações. Mas a resposta da professora paraense foi a que levou a melhor.

    Em entrevista à RHBN, ela comenta que quis participar do evento desde o início do ano, quando foi divulgado pela primeira vez, mas ao fazer as contas dos gastos com passagem e hospedagem, viu que não teria condições de viajar. Quando foi aberta a oportunidade da promoção, a professora logo mandou uma frase. “Nunca achei que eu fosse ganhar. Sou muito pessimista com promoções, não tenho sorte. Quando recebi a resposta positiva, fiquei muito feliz, bati palmas, pulei, gritei. Foi uma festa”, conta ela.

    Ela acrescenta que tinha um desejo enorme de ir a um evento onde entraria em contato com grandes nomes da historiografia brasileira, cujos textos fizeram parte de sua formação como professora no período em que cursava História na Universidade Federal do Pará. Além da oportunidade de ver de perto pesquisadores como Bóris Fausto, Caio Boschi, Fernando Novais e Santuza Cambraia, a paraense deseja participar das oficinas do festival, onde poderá melhorar sua “metodologia de ensino, principalmente naquela oficina que diz respeito ao uso de equipamentos multimídia em sala de aula”. Segundo ela, é muito importante para o professor se atualizar e, por meio desse microcurso sobre a utilização de novas tecnologias em classe, acredita que descobrirá novas formas de tornar a aula mais atraente para os alunos.

    Quem acompanhará Débora na viagem é sua mãe, Clara de Assis Araújo, que também é professora. “Ela sempre se dedicou muito a mim e aos meus estudos. Toda conquista minha é também uma conquista dela. Por isso, não pensei duas vezes em convidá-la para ir comigo, é um presente para nós duas”, explica ela.

    A Revista de História agradece às mensagens que foram enviadas por leitores de todo o Brasil. Quem estava na expectativa de receber o prêmio para se inscrever no festival, não desanime, pois ainda dá tempo.

     

     

Compartilhe

Comentários (2)