As muitas Áfricas de Alberto da Costa e Silva

Em ocasião do lançamento da 5ª edição de "A enxada e a lança", conselheiro da RHBN é entrevistado no "Programa do Jô" e fala sobre a história do continente africano

Julia Moreira

  •  

    O embaixador Alberto da Costa e Silva foi um dos entrevistados do "Programa do Jô" que foi ao ar sexta-feira (24). Na conversa, Alberto, que faz parte do conselho editorial da Revista de História da Biblioteca Nacional, falou do seu livro "A enxada e a lança - a África antes dos portugueses". A pesquisa para a obra - que é uma das primeiras e mais importantes publicações brasileiras sobre história africana - começou por volta de 1975 e levou uma década para ser, enfim, colocada no papel. As explicações para o título podem ser resumidas em poucas palavras: "a enxada é a paz, a lança é a guerra. A enxada é a mulher, a lança é o homem. A enxada é a vida, a lança é a morte", conta o embaixador. A 5ª edição do livro foi lançada este ano, pela Nova Fronteira, em versão ampliada e revista pelo próprio autor.

    Na entrevista, Alberto lembra que seu fascínio pelo continente africano começou quando tinha apenas 16 anos. Uma das principais explicações para o seu interesse, diz ele, é o pouco conhecimento que se tem sobre o território. "Até a metade do século XX, achava-se que não havia história na África", afirma. Alberto fala ainda do papel fundamental das mulheres, da escravidão, das diversas religiões e, principalmente, da importância de não generalizar a África como se todos os povos e regiões fossem iguais.  

    Confira aqui como foi a entrevista:

     

Compartilhe

Comentários (2)