A juventude e o Papa

A primeira Jornada da Juventude aconteceu em 1987, em Buenos Aires. Hoje, é a vez do Rio acolher um pouco do mundo inteiro à espera do Papa Francisco

Marcello Scarrone

  • A Jornada Mundial da Juventude, o evento católico cuja sede de 2013 é a cidade do Rio de Janeiro, já tem uma história de quase 30 anos. Suas origens residem em encontros realizados em Roma no começo da década de 1980 entre o papa João Paulo II e grupos e movimentos juvenis, em ocasião do domingo que antecede a Páscoa, o Domingo de Ramos. A Praça São Pedro repleta de jovens, seu entusiasmo e a especial sensibilidade do então pontífice para os anseios, as dúvidas, as demandas típicas dessa idade foram aos poucos sugerindo que eventos como aqueles pudessem se repetir com regularidade e longe de Roma.  

    E isso é o que aconteceu ao longo das décadas seguintes. A cada dois ou três anos, uma cidade diferente, em um ou outro continente, é escolhida para sediar esse encontro mundial da juventude com o papa, encontro realizado em vários dias de catequeses, celebrações e gestos de solidariedade. E, de certo modo, aquela cidade se torna por uma semana o centro do catolicismo.

    Há uma diferença, com efeito, com outras viagens do papa, quando ele se desloca para visitar uma ou outra comunidade católica, um ou outro país no qual é acolhido como sucessor do apóstolo Pedro, em sua missão de confirmar na fé aquela igreja longínqua. No caso do encontro com os jovens, trata-se da confluência naquele ponto do globo de católicos do inteiro planeta, reunidos ao redor do papa.  Assim, Francisco não chega ao Rio de Janeiro para visitar o Brasil e sua igreja (ou, ao menos, não principalmente) e sim para se encontrar com os jovens do mundo inteiro. Um encontro marcado, então.

    O papel que o Rio tem nestes dias já foi de outras cidades do mundo. Buenos Aires hospedou a primeira Jornada da Juventude ainda em 1987. Em seguida coube a duas cidades célebres por serem meta de tradicionais peregrinações populares: Santiago de Compostela, no extremo noroeste da Espanha, ponto de chegada, desde a Idade Média, de peregrinos da Europa toda para visitar a tumba do apostolo Tiago, em 1989, e Czestochowa, na Polônia, com seu santuário mariano. Denver (EUA), Manila (Filipinas) e Paris foram as outras sedes da década de 90. 

    No ano 2000, ano jubilar para a Igreja Católica, a celebração da Jornada teve lugar em Roma.  A canadense Toronto, em 2002, registrou a última aparição nestes eventos de João Paulo II, pois no encontro sucessivo, na cidade alemã de Colônia, será Bento XVI, também alemão, a marcar sua presença.

    O resto é história mais recente: em 2008 o evento ocorreu em Sydney, na Austrália, e em 2011 em Madri. Agora é a vez do Rio se povoar de jovens com mochilas e bonés, camisetas coloridas e falando os mais diferentes idiomas. Um pouco do mundo inteiro concentrado na metrópole carioca. Junto a Francisco.

Compartilhe

Comentários (0)