Valores em risco

Iphan disponibiliza na internet ferramenta de pesquisa que reúne obras sobre patrimônio cultural. Portal foi lançado durante seminário fluminense sobre a temática

Janine Justen

  • Biblioteca Geral do Patrimônio: IPHAN libera acervo onlineO Iphan disponibilizou em seu site uma nova ferramenta de pesquisa, a Biblioteca Geral do Patrimônio. Já com mais de 800 títulos que versam sobre patrimônio cultural no Brasil e no exterior, o portal reúne importantes pensadores e estudiosos da história contemporânea das artes e da arquitetura em coleções de excelência, como “Patrimônio de Origem Portuguesa no Mundo - América do Sul: Arquitetura e Urbanismo” (2012)e “Os Sambas, As Rodas, Os Bambas, Os Meus e os Bois” (2003 – 2010).  

    “Percebemos que as pessoas, muitas vezes, tinham dificuldade em encontrar determinadas obras, gastando muito tempo na pesquisa bibliográfica em arquivos e acervos físicos”, explica Luiz Philippe Torelly, diretor do Departamento de Articulação e Fomento do Iphan. “A ideia é incorporar novos títulos a partir de um esquema de coleção colaborativa. Estamos montando uma bibliografia aberta”, completa o diretor.

    O lançamento ocorreu paralelamente à III Semana Fluminense do Patrimônio, uma iniciativa que vem exibindo gratuitamente 50 documentários sobre o tema, no Centro Cultural Justiça Federal e no Museu do Meio Ambiente, até o dia 1º de setembro, no Rio de Janeiro.

    “A preservação do patrimônio cultural não se dá por uma única instituição, mas por todos aqueles que usufruem do patrimônio. A ideia do evento é estabelecer um canal de comunicação entre essas duas partes, Estado e sociedade”, afirma Marcos José de Araújo Pinheiro,  vice-diretor de Informação e Patrimônio Cultural da Fundação Oswaldo Cruz (uma das instituições que organiza o evento). Para ele, essa é uma excelente oportunidade de difusão de conhecimento e escuta das demandas sociais.

    Com o tema “Patrimônio Cultural: Valores em Risco”, a Semana deseja fazer valer o que a sociedade entende como seu patrimônio. Música, dança, festas populares, rituais indígenas e afro-brasileiros, mas também monumentos históricos, praças públicas e casarões. “Nesta lista vale incluir todos os bens representativos dessa manifestação simbólica dos povos que constituíram a nação brasileira, sejam eles materiais ou imateriais”, comenta Torelly.Edifício A Noite, o primeiro arranha-céu da América Latina / Foto: Wikipédia

    Dois grandes exemplos são o frevo e o Edifício “A Noite”, localizado na Praça Mauá, no centro do Rio. O prédio foi o primeiro arranha-céu da América Latina e abrigou a Rádio Nacional por anos. “Hoje a sociedade é muito mais atuante, em termos de reivindicação de reconhecimento de bens, do que era antes. O processo de identificação não é mais restrito a ação do estado, muito pelo contrário”, aponta Torelly, que destaca, ainda, a possibilidade, prevista em lei, de qualquer cidadão poder reivindicar o tombamento de um bem cultural.

    A mostra de cinema inclui filmes como “O Mistério do Samba”, de Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor, que retrata o cotidiano e as histórias da Velha Guarda da Portela e a pesquisa da cantora Marisa Monte para recuperar  composições das décadas de 1940 e 1950 ainda não gravadas. Outro destaque é a seleção “Mestres da Arquitetura Brasileira Moderna”, que reúne documentários sobre o arquiteto Oscar Niemeyer e os urbanistas Affonso Eduardo Reidy e Lúcio Costa. Confira a programação completa no site http://www.patrimoniofluminense.rj.gov.br/.

    Bibliografia Geral do Patrimônio

    Os interessados devem enviar seus trabalhos – desde que tenham sido efetivamente publicados em mídia digital ou impressa – para o e-mail daf@iphan.gov.br. Todos os arquivos serão analisados e selecionados pela comissão editorial do Iphan.

Compartilhe

Comentários (0)