Memórias da 'Última hora'

Evento na sede da ABI homenageia o extinto jornal carioca no ano em que completaria seis décadas

  • Capa da Última Hora no dia seguinte à morte de Getúlio VargasA “Última Hora” foi um dos maiores jornais brasileiros dos anos 1950. No início da década, o periódico de Samuel Wainer destoava-se dos outros em circulação na capital da República por assumir uma postura pró-Getúlio Vargas, num momento em que a imprensa condenava o presidente pela crise econômica que abatia o Brasil - pressão que acabou levando-o ao suicídio. Em homenagem aos 60 anos da UH, que deixou de existir pouco depois da instauração do regime militar, será realizado um seminário na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio de Janeiro, nesta quarta (13), às 15h.

    Neste dia, ocorrerá um debate coordenado pelo Presidente da ABI, Maurício Azedo, e integrado por ex-jornalistas da UH: Jorge Miranda Jordão, Milton Coelho da Graça, Lurlindo Ernesto da Silva, Pinheiro Júnior, Denise Assis, Pery Cotta, Alcyr Cavalcanti, Jesus Chediak, Benício Medeiros, no intutito de relembrar o cotidiano da redação em sua época dourada.

    Na ocasião acontece também o lançamento do livro “A Última Hora, como ela era”, escrito pelo conselheiro Pinheiro Júnior.

    A ABI fica na Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Rio de Janeiro. O evento ocorre no 9° andar. Informações pelo telefone: (21) 2282-1292. Entrada franca.

Compartilhe

Comentários (0)